Criação de rainhas – A antecipação da Primavera

Neste artigo vou relatar o meu método, ainda que artesanal, para a criação de rainhas. Conforme li em alguns blogues e constatei com a minha própria observação, este ano as nossas amigas abelhas estão muito adiantadas, os enxames estão fortes, com muita criação e possuem boas reservas de alimento. No meu apiário, ao invés do que sucedeu no ano anterior, os ninhos ficaram repletos de criação e de alimento muito cedo, por volta de inícios de dezembro. À data, 10 de janeiro, já tenho algumas colmeias com duas alças.
No início de dezembro reparei que já existiam muitos zangões nas colmeias, nascidos ou prestes a nascer. Utilizando apenas os conhecimentos adquiridos em blogues da área, decidi iniciar a criação de rainhas, pela primeira vez. O meu método é ainda muito artesanal devido ao equipamento de que disponho bem como ao número de enxames que possuo, é à escala do meu apiário, pois como referi sou um iniciado e tenho a apicultura apenas como hobby de fins de semana, e não em todos.
Voltando à criação de rainhas, o ano passado adquiri uma colmeia com 15 quadros, uma criadeira, que utilizo para criação de abelhas a fim de reforçar enxames mais fracos e também para fazer alguns enxames novos, utilizando o método de multiplicação tradicional.
No início do passado dezembro, a criadeira estava com 13 quadros, criação nos diferentes estados e com bastantes reservas, quer de mel, quer de pólen, e a pedir que se fizessem as primeiras experiências. Assim, a 6 de dezembro, decidi tentar criar a primeira rainha utilizando, para o efeito, um mini núcleo com dois copos de abelhas retiradas da criadeira. Estas abelhas ficaram órfãs durante 24 horas. No dia seguinte, a um dos quadros da criadeira, fiz um recorte, tendo a preocupação de escolher um que tivesse ovos do dia, e coloquei esse recorte num pequeno quadro no mini núcleo.
No dia 23 de dezembro fui verificar o mini núcleo e, para meu espanto, uma linda rainha tinha nascido. Importa ainda salientar, que o pequeno “punhado” de abelhas puxou vários mestreiros.
No dia 31 de dezembro fiz um núcleo com 3 quadros de abelhas e reservas, retirados da criadeira, e no dia 2 de janeiro, passadas 48 horas, capturei a rainha, já fecundada mas ainda sem postura, coloquei-a numa gaiola e introduzi-a no núcleo. No mesmo dia, repeti o processo atrás referido e hoje, 10 de janeiro, já estão operculados 2 lindos mestreiros que me permitirão fazer mais um enxame lá para finais de janeiro.

Anúncios

Sobre Casanova

Um apaixonado pelo maravilhoso mundo das abelhas.
Esta entrada foi publicada em Sem categoria. ligação permanente.

5 respostas a Criação de rainhas – A antecipação da Primavera

  1. Eduardo Gomes diz:

    Boa noite Jorge
    A melhor das sortes para a criação e fecundação das suas novas rainhas.
    Ainda é um pouco cedo em regra. O tempo pode dificultar o(s) vôo(s) de fecundação… mas a sorte protege os audazes, e se assim for terá uma elevada taxa de sucesso.
    Deixou-me um pouco intrigado: como sabe que a nova rainha está fecundada?
    Aproveito para lhe agradecer as respostas que me deu acerca das velutinas. E agradeço a toda a boa gente da sua região que muito tem contribuído para um avanço mais lento da velutina.
    Um abraço,
    Eduardo

    Gostar

    • Casanova diz:

      Boa tarde,

      A rainha já apresentava o abdómen dilatado. Por outro lado uma característica que tenho observado, as asas de uma rainha virgem cobrem quase a totalidade dos segmentos do abdómen e a de uma rainha fecundada não. Mas é pura observação!!!!

      Abraço,

      Jorge Casanova

      Gostar

  2. Casanova diz:

    Qual é a sua região?
    Abraço,

    Jorge Casanova

    Gostar

  3. Eduardo Gomes diz:

    Olá Jorge
    Tenho apiários no distrito de Coimbra e apiários no distrito da Guarda. No distrito de Coimbra, pela minha experiência ter rainhas fecundadas no início de Março está na ordem dos 50%, se tanto. Bem fecundadas está na ordem dos 20% a 30% . Verifico muita substituição destas rainhas nos meses de abril e maio. No distrito da Guarda só para finais de março, início de abril é que me atrevo a fazer o que você fez em Dezembro. É verdade que os anos não são todos iguais, mas inverno é inverno e fui aprendendo a ser mais paciente e esperar por março/abril. A questão que me deixa mais inquieto, nesta equação, são as condições metereológicas para as rainhas e os zângãos fazerem um bom vôo de fecundação.

    Na sua zona há algum criador de rainhas a tirar vantagens das boas condições para criar rainhas no “cedo”?

    As suas observações das diferenças entre rainhas virgens e fecundadas coincidem com as minhas. Numa rainha com o abdómen bem desenvolvido os três últimos segmentos não são cobertos pelas asas. As rainhas dos mestreiros nascera bem? A primeira rainha tem bom padrão de criação de obreira operculado? Que temperaturas durante as horas mais quentes tem tido na sua zona?
    Um abraço,
    Eduardo

    Gostar

    • Casanova diz:

      Olá Eduardo,
      Peço desculpa pela resposta tardia ao seu comentário, mas para a mim a apicultura é só aos fins de semana e nem todos.
      O enxame criado no dia 2 de janeiro com a dita mestra criada em dezembro está bem. Este fim de semana fui dar uma vista de olhos, tem boa postura e apenas criação aberta, penso que tenha iniciado tarde a postura, pois até nos restantes enxames se verificou uma paragem/diminuição da postura, devido ao frio noturno, provavelmente.
      A rainha está bastante desenvolvida, é grande. Não sei se significa que é boa ou má.

      Dos mestreiros que referi no dia 10 de janeiro nasceu uma rainha, que só este fim de semana tive o prazer de conhecer. Já tinha o pequeno núcleo de fecundação com ovos, também iniciou postura há pouco tempo. Com esta rainha criei mais um enxame. Neste penso que fiz asneira, como tinha pouco tempo retirei abelhas da criadeira e introduzi logo a rainha. Embora tenha colocado a rainha na gaiola, deixei só cândi a tapar a entrada, vão abrir em poucas horas, sem ter sentido a orfanização…vai dar asneira. Daqui a 15 dias data da provável próxima visita logo se verá.
      Quanto ao núcleo de fecundação ficou a criar mais uma rainha, penso que com meia dúzia de núcleos consigo ter rainhas para as minhas necessidades e criar alguns enxames.
      Quanto à fecundação em dezembro/janeiro, na zona de Esposende tivemos temperaturas da ordem dos 17/18 graus, por volta da uma duas da tarde e penso que estas temperaturas tenham proporcionado a fecundação, Mas é um risco muito grande pois basta uns dias de frio para estragar tudo, para já e com as condições deste ano estou com alguma sorte de principiante.
      Não conheço ninguém na região que crie rainhas nesta altura do ano.
      A razão de eu tentar fazê-lo teve a ver com a experiência das últimas duas épocas. Como aprendiz fiz alguns desdobramentos, método tradicional, em abril/maio e nesta altura do ano os agricultores iniciam a produção de milho e fica pouco para as abelhas, durante o verão os enxames demoravam a desenvolver e chegavam a outubro muito pequenos ou é necessário estar sempre a alimentar. O ano passado fiz um desdobramento no início de março, este com introdução de uma mestra e o enxame ainda deu uma meia alça de mel, 10 kg aproximadamente. Daí a minha ideia de criar enxames antes de março, pois ainda consigo algum mel no próprio ano e fico com os enxames fortes durante o verão para iniciar a época do eucalipto no outono.

      Abraço apícola,

      Jorge Casanova

      Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s